Mont Tremblant

Mont Tremblant é a maior e mais famosa estação de esqui do Leste do Canadá. É um refúgio que agrada todas as pessoas, de variadas idades e personalidades, e em qualquer estação do ano. Sim, há atividades o ano todo, e não somente no inverno, como muitas estações de esqui.
A cidade está localizada a 130km de Montreal e a 140km de Ottawa, ou seja, está localizada perto de duas importantes cidades do leste do país, contribuindo ainda mais com sua popularidade.

No verão, é possível fazer hiking, escalada, canoagem, andar de bicicleta por toda a estação das montanhas. O teleférico que leva ao topo da montanha funciona perfeitamente, e vale muito a pena, mesmo que você não vá fazer nenhuma das atividades mencionadas: só a vista de cima já compensa a subida.

Já no inverno, pegue seus instrumentos de neve e tenha toda a montanha para esquiar, fazer snowboard, snoeshoeing e dog sleddging. Ou seja, a diversão nunca termina.

Depois de tantas atividades ao ar livre, separe um tempo para curtir a vila de pedestres, onde ficam as lojas, restaurantes e o cassino, se você curtir. A maioria dos hotéis ficam, também, na vila de pedestres ou bem próximos a ela. Então é uma cidade super compacta e prática de se locomover.

Se tiver tempo e pique, separe pelo menos um dia para conhecer o Parc National de Mont Tremblant, que fica a alguns quilômetros ao norte da estação de esqui. Lá é possível acampar e fazer vários trekkings também (tanto no verão como no inverno).

Sugestão de atrações:

  • Parc Mont Tremblant
  • Casino
  • Ski Resort
  • Belvédère des Chutes
  • Village
Itinerário feito pelo site Sygic Travel
Vila de pedestres
Vila de pedestres
Vila de pedestres
Vila de pedestres
Vila de pedestres
Vista do lago
Vista do lago
Vista do teleférico
Vista do teleférico
Um dos mirantes do topo da montanha
Vista do mirante

Quebec + Chutes de Montmorecy + Sanctuaire de St. Anne de Beaupré

Quebec é a capital da Província de Quebec e a cidade mais antiga do Canadá. É, inclusive, a única cidade do Canadá e dos Estados Unidos a possuir trechos de seus antigos muros.Dizem até que é um pedacinho da Europa na América do Norte, de tão fofa que ela é.

A cidade é linda e bem agradável de andar! Ela é composta da cidade alta, onde fica a Citadelle e a cidade baixa, com ruas pequenas cheias de lojas e restaurantes.

Para vista da cidade toda, não deixe de andar pela Terrasse Dufferin Promenade, de onde vemos o Rio São Lourenço e no Funicular, que liga as duas partes da cidade. Ele fica bem em frente ao maior cartão postal da cidade, o Hotel Fairmont Chateau Frontenac.

Na parte baixa, no meio da Rue du Petit Champlain, preste atenção ao Quartier Petit Champlain, uma praça toda enfeitada e charmosa. Quando fui, estava enfeitada para o Halloween (já quero vê-lo enfeitada para o natal, rs). E no final da mesma rua, tem um dos vários painéis pintados no muro retratando cenas da cidade antiga. Adorei!

E já que a cidade é a capital da Província, não deixe de andar pelo seu Parlamento, que é lindo e possui um jardim na frente bem agradável para se passear.

Se quiser conhecer a Citadelle, uma pequena fortaleza onde podemos visitar alguns dos cômodos utilizados pela realeza, quando o local era utilizado como residência do Rei e do Governador do Canadá. Lembre-se que só é possível fazer visita guiada, então separe um momento a mais para fazer essa parte.

Depois visite as Ramparts, que são as fortificações da cidade, que é inclusive Patrimônio da Unesco. Lá existem várias atividades com tema medieval para adultos e crianças. Recomendo muito!!!

Sugestão de atrações:

  • Citadelle
  • Terrasse Dufferin Promenade
  • Quartir du Petit Champlain
  • Funicular
  • Chevalier House
  • Place Royale
  • Agora du Vieux-Port
  • The Fort Museum
  • Place d’Armes
  • Fairmot le Château Frontenac
  • Rue du Trésor
  • Cathédrale Notre-Dame de Québec
  • Hôtel de Ville
  • Ursulines Museum
  • Ramparts
  • Parliament
Itinerário feito pelo site Sygic Travel
img_8265
Estação de trem
img_8282
Citadelle
img_8286
Citadelle
img_8305
Ramparts
img_8309
Ruas de seu centro histórico
img_8329
Cathédrale de Notre Dame de Québec
img_8340
Musée du Fort
img_8341
Hotel Fairmont Chateau Frontenac
img_8353
Citadelle vista da cidade baixa
img_8357
Quartier du Petit Champlain
img_8376
Capela das Ursulinas
img_8381
Place d’Youville
img_8418
Parlamento
img_8397
Jardim em frente ao Parlamento
img_8408
Vista da cidade

Arredores:

Em uma visita à Québec, não deixe de conhecer dois lugares próximos à cidade. O primeiro é a Chute de Montmorecy, uma das quedas d’água mais altas do Canadá, com 83m de altura (são mais altas que as Cataratas de Niagara). O lugar é lindo, com um parque bem agradável e um teleférico para chegarmos bem perto das águas.

Saindo de lá, vá para o Sanctuaire de Saint-Anne de Beaupré, onde fica a Basílica da Santa de mesmo nome, que já realizou vários milagres a quem solicita. Essa igreja é, inclusive, o maior lugar de peregrinação do Canadá. O lugar é lindo e emocionante e a Basílica é cheia de mosaicos maravilhosos também. Vale muito a pena!!

Itinerário feito pelo site Sygic Travel
img_8433
Chutes de Montmorecy
img_8435
Chutes de Montmorecy
img_8443
Chutes de Montmorecy
img_8447
Chutes de Montmorecy
img_8449
Sanctuaire de St.Anne de Beaupré
img_8451
Sanctuaire de St.Anne de Beaupré
img_8453
Sanctuaire de St.Anne de Beaupré
img_8459
Sanctuaire de St.Anne de Beaupré

Montreal

Montreal  é a maior cidade da Província de Québec e a segunda maior do Canadá. A Província de Québec, inclusive, é a maior região francófona fora da França. Mesmo depois de vários combates, Montreal acabou não se transformando na capital da Província, e sim a própria cidade de Québec.

Montreal é uma daquelas cidades que nos identificamos assim que a conhecemos. Ela é bem urbana e possui vários pontos interessantes para prestar atenção. Atrações também não faltam, tendo opções para todas as idades e gostos.

Comece pela Cidade Antiga, onde fica a Basilique de Notre-Dame, a Prefeitura, o Chateau Ramezay, que era uma residência e foi considerado o primeiro prédio histórico da Província de Québec e o Porto Antigo.

Depois, vá para o lado mais moderno da cidade, onde fica a famosa Rue Sainte Catherine, a Place des Arts, o Museu de Artes Contemporânea e o Musée des Beaux-Arts. Não se esqueça de andar pela cidade subterrânea, que além de ser a maior do mundo, é também agradável, principalmente nos dias de chuva e frio.

Com o centro da cidade percorrido, é hora de conhecer as atrações mais afastadas da cidade, como o lindo Parc Mont Royal (não deixe de ir ao mirante para conferir a vista da cidade toda, se o dia estiver claro), o Oratoire St. Joseph, cuja cúpula só não é maior que a da Basílica de São Pedro, no Vaticano e também o Canal Lachine, que é bem agradável.

Depois cruze a Ponte Jacques Cartier e vá para o Parc Jean Drapeau, onde fica o Casino da cidade, o circuito Gilles Villeneuve, o La Ronde, o maior parque de diversões da Província de Québec, e a Biosphère, que abriga o único Museu do Meio Ambiente da América do Norte. Se nenhuma dessas atrações te interessar, vá mesmo assim, pois o lugar é lindo e ver a cidade desse lado é maravilhoso também.

Montreal foi sede das Olimpíadas de 1976, então não deixe de visitar o Parque Olímpico, que possui várias atrações, como a Tour de Montréal, a maior torre inclinada do mundo, o Jardim Botânico, o Planetário e o Biodôme, um zoológico fechado, com animais separados de acordo com a localização em que vivem. Não deixe de incluir esta bela e agradável cidade em um roteiro pelo Leste do Canadá.

Sugestão de atrações:

  • Place D’Armes
  • Basilique Notre Dame
  • City Hall
  • Chateau Ramezay
  • Vieux Port
  • Clock Tower
  • Place des Arts
  • Museu de Arte Contemporânea
  • Rue St. Catherine
  • Cidade Subterrânea
  • Musée des Beaux Arts
  • Parc Mont Royal
  • Oratoire St. Joseph
  • Canal Lachine
  • Marché Jean Talon
  • Jardin Botanique
  • Parc Olympique
  • Planetarium
  • Biodôme
  • Pont Jacques Cartier
  • Parc Jean Drapeau
  • La Ronde
  • Biosphère
  • Casino
  • Circuit Gilles Villeneuve
img_5212
Itinerário feito pelo site Sygic Travel
img_8169
Basilique de Notre-Dame
img_8170
Place des Armes
img_8173
Basilique de Notre Dame
img_8190
Banque National
img_8199
City Hall
img_8257
Oratoire St. Joseph
img_8544
Marché Jean Talon
img_8561
Biodôme
img_8563
Biodôme
img_8565
Biodôme
img_8574
Parc Olympique
img_8740
Biosphère
img_8756
Parc Olympique
img_8769
Jardins de Lumières, no Jardin Botanique
img_8785
Jardins de Lumières, no Jardin Botanique

Viña del Mar + Valparaíso

Viña del Mar:

Viña del Mar é a capital turística do Chile, recebendo turistas do mundo todo. E há vários motivos para isso…

A cidade que faz parte da Grande Valparaíso acaba sendo muito mais simpática. Pra começar pelo relógio de flores na entrada da cidade, que é fofo.

Depois você vê o Casino, uma das principais fontes de renda e o seu balneário, com pedras quase negras e um mar agitado, afluente do Oceano Pacífico.

Em Viña del Mar está, também, um dos poucos Moais fora da Ilha de Páscoa, em frente ao Museu de Arqueologia e História Francisco Fonck (o outro está em um museu em Londres). Quem gosta de arte, não deve deixar de visitar o Museu de Belas Artes também, na charmosa Quinta Vergara.

Sugestão de atrações:

  • Museu de Arqueologia e História Francisco Fonck
  • Vergara Pier
  • Casino
  • Castelo Wulff
  • Plaza de los Artistas
  • Reloj de Flores

Itinerário feito pelo site Sygic Travel
img_5061
Reloj de Flores
img_0126
Um dos poucos Moais localizados fora da Ilha de Páscoa
img_0128
Casino
img_0132
Casino
img_0139
Castelo Wulff
img_0138
Oceano Pacífico
 

Valparaíso:

Valparaíso já é uma cidade grande, universitária e em uma região bem montanhosa. É conhecida por seus funiculares, de onde se tem excelentes vistas da região. Foi, inclusive, um dos lugares escolhidos por Pablo Neruda para morar.

Ande por seu centro histórico, que é charmoso e com prédios e praças interessantes. Entre na Catedral que é linda!!! Depois, percorra-a sem rumo, somente curtindo cada cantinho.

Foi um dia super agradável passar pelas duas cidades, além de termos gostado mais de Viña del Mar do que Valparaíso. De repente, voltando em uma outra circunstância acabe me simpatizando mais, rs.

Sugestão de atrações:

  • Diego Portales Viewpoint
  • Congreso Nacional
  • La Sebastiana
  • Prefeitura
  • Plaza de la Vitoria
  • Catedral
  • Arco Británico
  • Elevador Concepción
  • Palacio Baburizza
  • Plaza Sotomayor
  • The Heroes Monument
  • Plaza Matriz

img_5065
Itinerário feito pelo site Sygic Travel
img_0117-2
Cerros de Valparaíso
dsc03871
Catedral
img_0113
Ruas de Valparaíso
img_0112
Valparaíso
Plaza Sotomayor
Heroes Monument

Santiago + Concha y Toro

Primeiras impressões:

Santiago é a capital do Chile e a porta de entrada da maioria dos turistas no país. A cidade tem o seu charme sem perder seu ar cosmopolita. Possui, também, muita área verde para curtir nos dias de sol. Nos dias limpos, sem tanta poluição, é possível ver vários picos nevados da Cordilheira dos Andes dentro da própria cidade.

Comece por seu centro histórico, onde fica a Prefeitura (chegue no horário da troca da guarda), a Catedral e a Plaza Mayor. De lá, suba até o Cerro de Santa Lucía, onde fica a santa padroeira da cidade e depois pegue o funicular até o Cerro San Cristóbal, um dos excelentes mirantes da cidade.

À noite, a cidade fica bem movimentada, principalmente nos seus shoppings centers, bares e restaurantes. Aproveite para curtí-los junto com seus moradores.

Sugestão de atrações:

  • Cerro de San Cristóbal
  • Cerro de Santa Lucía
  • Teatro Municipal
  • Plaza de Armas
  • Mercado Central
  • Catedral Metropolitana
  • Palacio de la Moneda

 

img_0197

Itinerário feito pelo site Sygic Travel

dsc03782-1
Palácio do Governo

dsc03775-1

Troca da guarda

dsc01552
Centro financeiro
dsc03810-copia
Catedral Metropolitana

dsc01594

Catedral Metropolitana

dsc03803
Moai
dsc03834
Cerro Santa Lucía

dsc03845-1

Funicular

Arredores:

A maioria das pessoas que visita Santiago acaba visitando pelo menos uma das vinícolas do país. Em Santiago, a mais visitada é a Concha y Toro, onde é fabricado o conhecido vinho Casilleros del Diablo.

A visita à vinícola é com horário marcado e vale muito a pena, tanto para conhecer a história do local, como pela beleza também. Aproveite, também, a loja no final do tour para comprar algumas garrafas ou alguns itens para sua adega. Adoramos!!

Itinerário feito pelo site Sygic Travel
dsc01656
Concha y Toro
dsc01657
Concha y Toro
dsc01659
Concha y Toro
dsc01665
Concha y Toro
dsc01669
Concha y Toro

Pucón + Vulcão Villarica

Primeiras impressões:

Pucón é uma famosa estação de esqui situada no norte da Patagônia chilena e aos pés do Vulcão Villarrica. Dá pra visitá- la em qualquer estação do ano, pois no verão você pode fazer trekkings, canoagem, escaladas e no inverno, esquiar.

A cidade é fofa, bem típica das cidadezinhas da região, com muitos restaurantes e lojas para descansar depois das atividades perto do vulcão.

Durante o dia, você não conseguirá ficar longe do vulcão, seja embaixo, ao lado ou na sua cratera. Sim, uma das principais atrações é subir até sua cratera, excelente opção para os aventureiros.

Como o vulcão está ativo, fique atento no marcador que fica embaixo, na estrada que leva ao seu topo, para saber se conseguirá chegar perto ou não. Não se desespere, também, com sua fumaça saindo da cratera, pois ela quase sempre está lá. Adoramos conhecer essa região do Chile!

Itinerário feito pelo site Sygic Travel
Pucón
Pucón
Pucón
Vulcão Villarrica visto de Pucón
Vulcão Villarrica visto de Pucón
Vulcão Villarrica
Estação de esqui de Pucón
Estação de esqui de Pucón
Vista da estação de esqui
Estação de esqui de Pucón
Vulcão Villarrica

Saltos del Petrohué + Vulcão Osorno

Primeiras impressões:

Os Saltos del Petrohué são um dos principais motivos de quem visita Puerto Varas, principalmente por quem ama esportes radicais.

Mas quem não gosta ou não pretende fazer grandes trilhas, canoagem ou rapel também deve visitar o local.

Suas águas transparentes e esverdeadas devido ao degelo são espetaculares, bem como a reserva natural em sua volta. É um excelente local para ter um contato a mais com a natureza.

Ah, e na região também tem vários spas onde dão para fazer tratamentos com as águas termais e com as areias vulcânicas da região. Adoramos!!!

Itinerário feito pelo site Sygic Travel
dsc03443
Saltos del Petrohué
dsc01377
Saltos del Petrohué
dsc03458
Saltos del Petrohué
dsc03459
Saltos del Petrohué
dsc03471
Saltos del Petrohué

Arredores:

Outra atração imperdível é o Vulcão Osorno, onde fica também a estação de esqui da região.

Mesmo que você não vá no inverno para esquiar, não deixe de subí-lo, já que a vista do alto é maravilhosa!!!

Itinerário feito pelo site Sygic Travel
dsc03557
Vulcão Osorno
dsc01395
Estação de esqui, no Vulcão Osorno
dsc03539
Vista do Vulcão Osorno
dsc03523
Vulcão Osorno
dsc03528
Estação de esqui, no Vulcão Osorno
dsc03545
Vulcão Osorno

Puerto Varas + Frutillar

Primeiras impressões:

Puerto Varas é uma cidade super charmosa no norte da Patagônia chilena. Geralmente ela é incluída no roteiro dos Lagos Andinos, que saem de lá e chega até Bariloche, na Argentina.

Nós não fizemos esse roteiro, pois não queríamos sair do Chile, mas comseguimos fazer a parte chilena do roteiro mesmo sem o cruzeiro, então recomendo.

A cidade é bem pequena e pitoresca, já que está situada nas margens do Lago Llanquihue. A cidade em si dá para conhecer em um dia, mas fique mais tempo para conhecer as atrações perto, que são muitas.

A grande atração da cidade é a Iglesia Sagrado Corazón de Jesus, feita de madeira, tipicamente alemã, que fica no alto da cidade. Então de onde você estiver, você a verá.

Se tiver um dia claro, aproveite para andar de barco no lago ou de bicicleta, ao seu redor. Vale muito a pena, já que a paisagem é linda. Depois, vá fazer compras em uma das várias lojas de artesanato com produtos típicos da região.

Sugestão de atrações:

img_4845
Itinerário feito pelo site Sygic Travel

dsc03597
Puerto Varas

dsc01412
Lago Llanquihue

dsc01416
Puerto Varas

dsc03575
Puerto Varas

img_4838
Iglesia del Sagrado Corazón de Jesus

dsc03576
Iglesia del Sagrado Corazón de Jesus
Arredores:

Frutillar é a cidade mais alemã do Chile, também situada nas margens do Lago Llanquihue. A cidade é bem charmosa, cheia de pousadas e restaurantes na sua orla.

Sua principal atração é o Teatro del Lago, construído em cima do lago e de onde se tem belas vistas da cidade. Não deixe de comer em um dos restaurantes alemães da cidade, que são bem gostosos.

img_4847
Itinerário feito pelo site Sygic Travel

img_4846
Itinerário feito pelo site Sygic Travel
 

dsc03625
Lago Llanquihue

dsc01424
Lago Llanquihue

dsc03624
Frutillar

img_4839
Igreja, em Frutillar

Delfos + Arachova

Primeiras impressões:

Delfos ficou famosa no mundo todo por seu Oráculo, onde várias vidências da Grécia Antiga eram preditas, por meio do movimento das águas e do barulho das folhas das árvores.

O Oráculo ficou famoso após ser considerado o umbigo do mundo, quando duas águias foram lançadas em direções opostas e se chocaram ali. Nesse lugar, colocaram uma pedra oval, chamada de ônfalo, para demarcar a exata posição do meio do mundo. Com isso, o local ficou sagrado e passou a ser frequentado por diversas personalidades do mundo antigo.

A região é maravilhosa, próximo ao Monte Parnaso, tão conhecido das aulas de História e com uma vegetação bem densa. Ah, e com o mar ao fundo, para embelezar ainda mais a paisagem.

Hoje em dia, suas principais atrações são o Sítio Arqueológico e o Museu Arqueológico com diversas obras importantes dessa época. Aliás, todos os Museus Arqueológicos que visitamos na Grécia eram fantásticos, super bem explicados e cuidados. Valem muito a pena!!!

Sugestão de atrações:

  • Museu Arqueológico
  • Sítio Arqueológico
  • Tolo

Itinerário feito pelo site Sygic Travel

img_4421
Tolo

img_4422
Ruínas do Templo de Apolo

img_4424
Monumento dedicado a Prometheus

img_4426
Montanhas da região

img_4418
Museu Arqueológico

img_4420
Ônfalo (pedra que simboliza o umbigo do mundo)
Arredores:

Pertinho de Delfos, fica Arachova, uma cidade bem charmosa onde fica uma das estações de esqui da Grécia. Vale a pena passar o dia, mesmo fora da temporada, já que suas ruas estreitas são cheias de lojas e restaurantes. Adoramos!

Itinerário feito pelo site Sygic Travel

img_8152
Arachova

img_8154
Arachova

img_8157
Arachova

img_8159
Arachova

Meteora

Primeiras impressões:

Meteora é um daqueles lugares que sonhamos em conhecer e mesmo quando conseguimos conhecer, não acreditamos que foi verdade. Afinal, ver esses paredões de arenito aglomerados em um só lugar e com vários monastérios construídos em seu topo são realmente fantásticos. O local foi, inclusive, inserido no rol dos Patrimônios da Humanidade, da UNESCO.

Primeiro, tente dormir no local, ao invés de fazer qualquer excursão que você passa somente o dia por lá. Lugar para dormir não falta, com opções para todos os gostos e bolsos. São duas as principais cidades de acesso: Kalambaka e Kastraki, cada uma em uma ponta e os paredões ao fundo das duas.

Outra vantagem de dormir é poder visitar todos os monastérios, pois cada um fecha em um dia diferente da semana. Além do mais, a visita fica mais tranquila, sem grandes correrias, pois você poderá visitar dois ou três monastérios por dia, descansar um pouco e continuar no dia seguinte.

Não se esqueça que para visitar cada monastério demanda um certo tempo, já que muitos são acessíveis somente por longas escadas ou trilhas. E não se esqueça que o local é bem distante do restante das atrações do país, então você não conseguirá fazer muita coisa nem no dia de chegada, nem no dia de saída.

No local, há seis monastérios visitáveis, cinco masculinos e um feminino. Cada um fica no topo de uma rocha diferente e em todos você paga uma pequena taxa para entrar, para ajudar na manutenção.

O maior monastério é o Great Meteoron, acessível por uma escadaria de 320 degraus até a chegada da bilheteria. Ao andarmos por ela, conseguimos perceber a dificuldade que os monges tinham para chegar até lá. Percebemos que o local realmente tem que ser de difícil acesso mesmo para conseguir a tranquilidade e a distância do mundo terreno mesmo.

Ao entrarmos, podemos visitar alguns locais usados desde a época de sua construção, no século XI, D.C., como a cozinha, alguns capelas com lindos mosaicos, o refeitório e alguns museus ilustrando roupas e livros utilizados por eles. Como tem monges morando lá até hoje, vários acessos ainda não são permitidos, para preservar a tranquilidade deles.

Achei bem interessante e emocionante conhecer o ambiente todo, mas as vistas de lá de cima são o que mais chamam a atenção de todo mundo. A paisagem do alto e ver os outros monastérios do alto, não tem preço que pague de tão lindo que é. Isso sem falar na sensação de paz que sentimos também.  Quem puder visitar o local, não deixe de ir, pois foi um dos lugares que mais gostamos de conhecer.

Sugestão de atrações:

  • Monastério de Great Meteoron
  • Monastério de Varlaam
  • Monastério de Rousanou
  • Monastério de São Nicolau de Anapausas
  • Monastério de São Estevão
  • Monastério da Santíssima Trindade

Itinerário feito pelo site Sygic Travel

img_3871-3
Vista dos rochedos de Meteora

img_4390
Vista dos rochedos de Meteora

img_4391-2
Monastério de Great Meteoron

img_4394-2
Teleférico utilizado para transportar suprimentos

img_4402-1
Cozinha do Great Meteoron

img_7997
Escadaria de acesso ao Great Meteoron

img_4396-2
Rochedos de Meteora

img_4400-1
Vista dos Monastérios

img_4398-2
Monastério de Varlaam

img_8044
Monastério São Nicolau de Anapausas

img_3879-1
Vista de Meteora

img_4414
Meteora em um dia nublado